Mostrando postagens com marcador Olá Jovens. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Olá Jovens. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Jessika Kelly no Jovem Embaixador


Estudante da EREM Justulino Ferreira Gomes passará pela seleção do Jovem Embaixador e receberá Menção Honrosa 



A EREM Justulino Ferreira Gomes está feliz pela possibilidade da estudante Jessika Kelly Jeremias da Silva,do 3º Ensino Médio A participar do Projeto Jovem Embaixador. O programa é uma parceria entre a Embaixada Americana com instituições públicas e privadas que visa promover o intercâmbio cultural de jovens que estudam na rede pública de ensino brasileira. 
O programa pretende levar 35 estudantes brasileiros, no mês de janeiro de 2014, aos Estados Unidos, para conhecerem a cultura do país, estudarem em uma escola norte-americana e conviver com uma família nativa do país por três semanas. Vela salientar que nossa estudante foi a ÚNICA  selecionada  na GRE Vale do Capibaribe. 
Já a ex-aluna Letícia de Kássia pereira da Silva, da 8ª série de 2012 receberá na UFPE na quinta-feira a medalha referente ao excelente desempenho em matemática conquistado no ano anterior. 
http://professoredgarbomjardim-pe.blogspot.com.br/
Professor Edgar Bom Jardim - PE

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Primeira vez: quando é chegada a hora?

Diálogos na escola


Há algum tempo, ninguém preguntava ao professor sobre quando era chegada a hora de transar. Os meninos eram pressionados por familiares e amigos assim que começavam a ejacular e as meninas sabiam que isto só era aceito após o casamento. Essa referência ainda permanece para muitas famílias atualmente, mas para a maioria dos jovens ela já não serve mais. Identificar o momento de iniciar a vida sexual se tornou uma decisão pessoal. Essa responsabilidade gera ansiedade, muita insegurança e… pouca concentração para a aprendizagem dos conteúdos das diversas disciplinas.
Quando um garoto começa a ejacular não significa que ele esteja maduro sexual e emocionalmente para transar. Na maioria das vezes, ele ainda está aprendendo, por meio de aproximações sucessivas, a reconhecer os sinais no jogo da sedução.  O mesmo vale para as meninas, a menstruação é um sinal físico de que o corpo delas já está pronto para uma gestação, mas isso, nem de longe significa que esse é o momento mais adequado para iniciação sexual.

 Como ajudar a identificar a hora certa

Na adolescência, os hormônios sexuais provocam uma mudança radical no corpo, que sofre transformações de modo a deixar de ser uma corpo de criança para ser um corpo adulto. O corpo, que antes sentia “cócegas” quando se deparava com um estímulo sexual, passa a sentir um “comichão”, chamado tesão, toda vez que acontece um olho no olho, um beijo, um abraço, um cheiro, e outros carinhos mais.
A sensação de desejo, aliada à curiosidade e à oportunidade, pode dar a falsa impressão de que o adolescente está pronto para ter a sua primeira vez. O professor pode ajudar seus alunos a refletir sobre esta temática e até identificar este momento. Para tanto, é necessário abrir esta discussão em sala de aula e trabalhar com eles o conceito de que ninguém é apenas um CORPO!
Experimente  fazer uma roda de conversa sobre valores, crenças e expectativas em relação à primeira relação sexual. Apresente como se processa a resposta sexual humana, desmistificando a ideia de que o sexo é só uma reação orgânica que automaticamente leva ao prazer. É fundamental que os jovens entendam que apenas o desejo não é suficiente para a relação sexual acontecer adequadamente. É necessário também um pouco de maturidade, capacidade de entrega e responsabilidade sexual para prevenção DST/Aids e da gravidez na adolescência.
Para finalizar a conversa, peça para os alunos fazerem uma lista das coisas que eles acreditam serem importantes para acontecer um relacionamento sexual, como as expectativas que têm em relação a uma transa e o que espera do(a) namorado(a) durante e depois da relação sexual. Depois, cada um deve analisar os “prós e contras”.    O momento certo é aquele em que a lista dos “contras” praticamente não existir ou tiver poucos itens, possíveis de resolver.
A hora certa para iniciar a vida sexual varia de pessoa para pessoa. Sexo é uma função natural do ser humano, mas não precisa – nem deve – ser praticado enquanto o indivíduo não se sente pronto para viver o prazer e assumir as responsabilidades que essa atividade exige.  “Forçar a barra” pode causar dificuldades sexuais!


www.professoredgar.com

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Intercâmbio: Raquel chegou da Austrália para EREM Justulino em Bom Jardim





Raquel, uma jovem brasileira de família humilde, residente da zona rural do Bom Jardim - PE, participou do Programa Ganhe o Mundo fazendo intercâmbio na Austrália. 


Experiências relatadas (Junho - 2013)


Estou muito feliz de poder estar na Austrália, vivenciando uma maravilhosa experiência que vai mudar minha vida completamente. Agradeço a DEUS por esta oportunidade em minha vida.

Estou tendo a oportunidade de conhecer e aprender a cultura da Austrália, os hábitos, crenças, e conhecendo a minha família que me acolheram com tanto carinho. Tenho uma ótima relação com todos eles. Chegando ao aeroporto de Adelaide, minha Host Mother (HELLEN), já estava a minha espera junto com o meu irmão ( KONSTANZ), foi ótimo conhecer a minha mãe percebi que com eles seria feliz e que me sentiria em casa pois eles me acolheram como uma filha. Me dão atenção, carinho me ajudam em tudo que preciso. Amo minha família me sinto muito bem, me sinto como se estivesse na minha casa no Brasil. Está com uma host Family é uma experiência inesquecível da qual jamais esquecerei , Participo de todas tarefas junto com a família. Eu tenho dois ótimos irmãos com quem sempre converso e eles me incluem em tudo e realmente sou parte da família.

Meu primeiro dia aqui foi muito difícil longe de tudo e de todos. Daí pensei: Meu Deus o que eu estou fazendo aqui, em outro país na casa desta gente que eu nem conheço, que não me entende e eu também não os entendo.. Me deu um ligeiro desespero, comecei a chorar queria muito voltar, mas pensava que daqui alguns dias isso iria mudar e que indo para escola estudar conhecer outras pessoas eu iria me sentir melhor e não muito sozinha, que isso iria fazer muito bem para mim. É complicado viver longe de família, amigos, professores. Mas tudo isso é questão de tempo para se adaptar as novas mudanças que a vida nos despõe a fazer.

Minha escola ADELAIDE HIGH SCHOOL, foi eleita umas das melhores escola para estudantes estrangeiros na Austrália. A escola tem um método de ensino muito bom, os funcionários são excelentes e muito prestativos, ajudam em tudo. Os professores também são ótimos e ensinam bem, estão sempre me ajudando.

Em relação as novas amizades, tenho poucos amigos australianos, mas tenho contato com Coreanos, Japoneses, Asiáticos. Enfim, é uma troca de conhecimentos e culturas. Quanto ao inglês, que é o meu principal foco, posso dizer que melhorou bastante. Ainda não consigo entender tudo que os australianos falam, mas já consigo me comunicar e para quem chegou ao aeroporto sem entender absolutamente nada, Acho que tive uma grande evolução. Enfim, acho que não é só no inglês que estou evoluindo. A experiência de vida que eu estou adquirindo. Jamais esquecerei.

www.professoredgar.com

terça-feira, 9 de julho de 2013

Primeira ejaculação: o que os meninos querem saber?


  O juventude  e sexualidade  - Direto ao ponto
Maria H. Vilela.
A puberdade tem uma razão muito especial: preparar o corpo para as alterações que possibilitam a reprodução. Por isso, neste período, o acontecimento mais marcante para o garoto é a ejaculação! Ela significa que sua linha de produção de espermatozoides entrou em ação e, agora, ele é capaz de gerar um filho.
A primeira ejaculação é muito esperada pelos meninos. Na nossa cultura, ela simboliza a masculinidade. Enquanto ela não acontece, eles não sossegam. E mais: muitos meninos acreditam que quanto mais se masturbarem, mais cedo virá a ejaculação. Assim, não é incomum o garoto passar mais tempo no banheiro do que era o seu costume. Porém, para a tristeza da maioria, a masturbação não acelera o caminho natural de cada um. O menino só irá ejacular no seu momento, de acordo com a sua herança genética e seu desenvolvimento físico.

Jogando e aprendendo

A primeira ejaculação se chama semenarca ou espermarca. A idade em que ela ocorre é variável, assim como a forma. Enquanto alguns meninos já apresentam ejaculações desde os 12 -13 anos, outros só a terão em torno dos 15 anos. No entanto, é muito comum que ela ocorra na fase do estirão de crescimento, quando o garoto tem um ganho rápido de altura e o pênis aumenta de tamanho.
Para muitos meninos, a expectativa sobre a primeira ejaculação é de um jato muito forte de um líquido viscoso, numa quantidade infinitamente maior do que seria o natural. A verdade é que, no início, o sêmen é aguado e só depois, nos episódios seguintes, começa a ficar mais encorpado, com a cor amarelada e um cheiro parecido ao de água sanitária.
Para tratar deste assunto com os alunos, a melhor forma que encontrei foi a utilização de jogos. Numa competição, consegue-se estimular uma maior participação do grupo. E a competitividade característica da idade pode ajudá-los a aprender e ensinar a sua equipe.
Assim, quando tenho que abordar este tema, costumo usar o Jogo da Reprodução Humana, um dos jogos que ajudei a desenvolver e que faz parte do material educativo Jogo de Corpo (elaborado e disponível para venda no Instituto Kaplan). Quem não possui o jogo pode usar também as imagens da Corrida dos Espermatozóides, disponíveis aqui.

As dinâmicas propostas pelos jogos esclarecem e desmistificam, de forma lúdica, muito do que pode perturbar os meninos que desconhecem o funcionamento de seu corpo. No Jogo da Reprodução Humana, por exemplo, eles aprendem que a quantidade normal de sêmen ejaculado varia de 2,0 a 5,0 ml, e que ele é composto de espermatozoides, líquido seminal e bastante secreção prostática. Esta variação de volume depende do grau e do tempo de excitação. Quanto mais o homem ficar excitado, e demorar a ejacular, mais líquido prostático será produzido e maior será o volume de sêmen ejaculado. Para que isso aconteça, no entanto, não basta apenas querer, é necessário atingir uma maturidade física e certa experiência sexual.
Neste trabalho, é fundamental fazê-los entender que a verdadeira função da ejaculação é depositar os espermatozoides na vagina para que ocorra a fecundação. Nos jogos, fica muito claro para os alunos que quando o garoto começa a ejacular, se ele tiver uma relação sexual sem proteção, pode engravidar uma garota. Inclusive no primeiro ano, quando há uma produção baixa de espermatozoides.
O jovem precisa ser conscientizado de que o fato de ter ejaculado não significa que já esteja pronto para ter relação sexual, e muito menos para ser pai. Reuni-los em grupo para uma atividade lúdica torna muito mais fácil para eles aceitarem e respeitarem o tempo de cada um e seus sentimentos.

Polução noturna

A primeira ejaculação ocorre, em geral, durante a masturbação, mas também é muito comum ocorrer durante o sono. Neste caso é chamada de polução noturna.
Polução noturna é a ejaculação involuntária que ocorre durante o sono. Quando a primeira ejaculação ocorre dessa maneira, pode deixar os meninos confusos. Ao se verem molhados, muitos garotos acham que urinaram na cama. Portanto, é tranquilizador para o adolescente informar que a polução noturna é natural, tanto na adolescência como na fase adulta.
Durante o sono, passamos por vários estágios que vão do sono leve ao profundo. Neste processo, há um momento chamado de fase REM (Rapid Eyes Moviment, ou Movimento Rápido dos Olhos), em que podem ocorrer as ereções fisiológicas para oxigenar os tecidos do pênis. Se o homem tiver sonhos eróticos durante esse período, a polução noturna pode acontecer. É assim que o organismo “se livra” do excesso de sêmen acumulado.
Conversar sobre estes acontecimentos, contextualizando-os na função reprodutiva, ajuda o adolescente a lidar melhor com o seu corpo, as transformações pelas quais ele passa e a iniciar sua vida sexual com responsabilidade.

www.professoredgar.com

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Você já ficou? Como é ficar ? Família e Escola orientam sobre o ficar ?

Do ficar bem ao se dar mal

 Sexualidade - Direto ao Ponto

Muitos pais e educadores ficam perturbados com a ideia do “ficar”. Mas nada acontece à toa. Após muitas reflexões, eu compreendi que o ficar tem uma função essencial nas relações afetivo-sexuais e na preparação dos adolescentes para o relacionamento a dois. O jovem precisa de um tempo e treino para saber lidar com a convivência intensa e a intimidade que o namoro atual exige deles.
O “ficar” é uma forma de relacionamento afetivo-sexual que permite troca de carícias, em geral da cintura para cima. Mas isto não é uma regra para todos os adolescentes. As carícias e a forma como cada casal desfruta do “ficar” podem variar de acordo com os interesses e a maturidade sexual. O mais importante é que o “ficar” pressupõe uma relação sem compromisso e com direitos iguais.
Assim, o “ficar” derrubou barreiras! Para os meninos favoreceu o treino de práticas sexuais e a espontaneidade nas relações, já para as meninas a conquista foi muito maior – uma revolução sexual – a garota aprendeu a reconhecer o desejo sexual, sem que, necessariamente, esteja apaixonada!
O “ficar” pode ser uma etapa de um relacionamento ou uma vivência interessante, não só em relação ao sexo, mas também da capacidade de se relacionar com o outro.

Quando ficar pode ser perigoso

Ninguém está pronto para transar de uma hora para outra. Todos nós passamos por um processo de desenvolvimento que, gradativamente, nos faz ter interesses por situações sexuais das mais simples às mais complexas, como a relação sexual propriamente dita.
Uma garota de 13 anos, por exemplo, mesmo com o corpo de mulher praticamente formado, pode ter o interesse de ficar para testar sua capacidade de sedução, beijar, abraçar e até trocar algumas carícias, mas isso não significa, necessariamente, que ela quer ter uma relação sexual. Se o garoto com quem ela ficar tiver uma idade aproximada, o “ficar” tem menor probabilidade de oferecer o risco dela não saber se defender, se necessário. Os dois estão num momento praticamente similar do desenvolvimento sexual. Neste caso, o “ficar” limita-se às situações com as quais ambos podem lidar. No entanto, se o garoto for mais velho, as expectativas em relação ao “ficar” podem ser muito diferentes e a menina pode correr o risco de não ter sua vontade respeitada.

Sugestão para o professor

É importante que os educadores trabalhem com seus alunos a compreensão de que o “ficar” é uma experiência positiva, mas que, para isso, eles devem estar atentos ao tipo de envolvimento sexual que esperam que ocorra e quais são os seus limites – o que eles não querem que aconteça neste “ficar”. Faça-os entender que se perceberem que o outro quer o que ele(a) não deseja e nem se sente pronto, devem dar um jeito de “cair fora”, ou evitar se expor em locais onde não podem pedir ajuda.
Para ajudá-los nesta conversa com os alunos, um bom iniciador são os vídeos. Uma dica muito boa são os vídeos do projeto “Dar Voz Aos Jovens”, promovido pela Fundação Carlos Chagas e o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), que levou vinte jovens de 14 a 19 anos da rede pública a produzirem cinco vídeos sobre diferentes temas referentes à sexualidade, a partir de suas próprias experiências.
Um deles, “Violência e poder”, trata de abuso sexual e pode propiciar aos alunos do ensino médio o entendimento de que o desrespeito à vontade sexual do outro e qualquer tipo de coerção é crime! Se acontecer, deve ser denunciado. Lembrem que o abuso sexual e o estupro não acontecem só com desconhecidos. Eles podem ser praticados por quem a gente menos espera, inclusive, por uma pessoa atraente.



www.professoredgar.com

domingo, 7 de julho de 2013

Coisa boa é namorar!!!

Sexualidade -  Direto ao ponto
Por Maria H. Vilela. 
Em todo lugar do mundo existem crenças ou dizeres mágicos que as pessoas aprendem com a intenção de encantar alguém a quem se deseja muito. Aqui no Brasil, as pessoas se apegam aos santos milagreiros. Santo Antônio é o mais procurado por todos.
São tantas as simpatias, correntes e rezas para ganhar o coração de alguém, que este santo tem de fazer hora extra no seu dia comemorativo – 13 de junho – para poder atender a tantos pedidos de namorados! E foi exatamente por causa dessa tradição que o dia dos namorados no Brasil é comemorado no dia 12 de junho, véspera de Santo Antônio, em vez de 14 de fevereiro, dia de São Valentim, como acontece em outros países.
Namorar é brincar de bem-me-quer
Namorar é quando estar com alguém é tão prazeroso que que dá uma vontade incontrolável de compartilhar tudo. Contar o dia a dia, os sonhos, projetos, desejos e sentimentos.
No namoro, a pessoa se sente desejada e importante, sonha acordada com as lembranças deliciosas e as coisas boas que se pode construir e viver juntos. Namorar é sorrir, chorar, brincar, brigar, mas, acima de tudo, querer-se. Tudo isso sem perder o que há de mais precioso numa relação: VOCÊ. O que coloca a autoestima e a autoconfiança em alta.
Mas como tudo na vida, nem só de flores vivem os enamorados. Quem namora de verdade, está sempre pronto para fazer um mimo à pessoa amada. Como se diz na minha terra, Maceió, fazer “os gostos da vontade”. E é aí que entra o nosso papel de educador. É fundamental para um relacionamento que os jovens entendam que este “gosto” é um desejo significativo de um dos parceiros que o outro realiza pelo puro prazer de agradar, mas sem ferir o seus valores pessoais. Não é para se violentar, como ocorre muitas vezes, principalmente com as garotas, na famosa prova de amor!
Vulnerabilidade
Outro momento importante em que o educador precisa estar atento é a vulnerabilidade dos enamorados à gravidez na adolescência e às DST/Aids. O conceito social que impera na nossa cultura de que “quem ama confia” é responsável pela dificuldade que os casais tem para negociar o uso da camisinha. Portanto, é fundamental trabalhar com os alunos o impacto dos valores nas condutas sexuais.
Para isso, eu desenvolvi, juntamente com a equipe de educadores do Instituto Kaplan, um jogo que pode ajudar muito o professor a trabalhar esta temática na sala de aula, o Valores em Jogo.
Composto de cartas, cartazes, cordões e pingentes, que tem como foco promover o empoderamento da mulher na prevenção de DST/HIV/Aids e gravidez na adolescência, o jogo apresenta situações referentes ao relacionamento afetivo-sexual, mitos, crenças, tabus e preconceitos nas quais cada jogador assume o papel dos personagens envolvidos (garota, namorado, amigos, familiares e professores) e dramatizam, de acordo com valores selecionados, para se posicionar em relação à diferentes situações. Acompanha o material o livro do educador, com textos que embasam e definem nossa referência metodológica. As informações sobre este material está em nosso site.
Bom trabalho!

www.professoredgar.com

terça-feira, 2 de julho de 2013

Protagonismo Juvenil:Ativismo social e exercício solidário da cidadania

Manifestações construídas na escola com reivindicações e protestos nas ruas
 




www.professoredgar.com

domingo, 16 de junho de 2013

Acreditamos nestas "Feras" ! Acreditamos na Educação !

Por um Campus da UPE do Agreste Setentrional em Bom Jardim-PE

Juventude:Estudar, fazer bonito, trabalhar pelo Brasil... Ser feliz !
 Foto:Facebook
Vanessa, Milena e Paloma (EREM Justulino F.Gomes), representam milhares de jovens de Bom Jardim e Região que precisam de oportunidades de estudo para crescer e fazer crescer nosso Brasil, nosso Pernambuco e nossa Região. 


www.professoredgar.com

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Conheça o Diário da História Jovem no Facebook

Todos os dias estudantes da EREM Justulino Ferreira Gomes são estimulados para boa leitura no Facebook
Diário da História Jovem

Diário da História Jovem
115 curtiram · 15 falando sobre isso


Educação
Página criada por alunos do ensino médio dedicada aos fatos, curiosidades e discussões que fazem a história da atualidade.
Bom Jardim - Pernambuco - Brasil


Pessoal, a partir da ideia de um grupo de alunos do último ano do ensino médio, da EREM-Justulino Ferreira Gomes foi criada esta página do Facebook como extensão do projeto "Diário da História", idealizado há alguns anos pelo professor Edgar Santos.
Abordaremos aqui, diversos temas da atualidade e esperamos alcançar a sua satisfação através das informações aqui postadas.

Grande abraço !
                                                    Palloma Queiroz, redatora DHJ
- EDUCAÇÃO

Prevupe inicia inscrições nesta sexta-feira

Começa nesta sexta-feira e segue até o dia 12 de maio o prazo de inscrições para o processo seletivo do Pré-vestibular da Universidade de Pernambuco (Prevupe). O curso gratuito é voltado para estudantes da rede pública de ensino que se preparam para conseguir uma vaga na universidade.

Os interessados devem acessar o site www.upenet.com.brpara fazer a inscrição. A taxa de R$ 25 deve ser paga nas agências da Caixa Econômica Federal ou nas casas lotéricas credenciadas. Também no site, o candidato ´pode solicitar isenção do pagamento. O prazo para fazer o pedido vai de 26 a 30 de abril, apenas para quem está inscrito em programas sociais do Governo Federal.

Ao todo, são 7.600 vagas, distribuídas em 31 municípios de Pernambuco, sendo mil para o Recife, quatrocentas para Garanhuns, mais 400 para Nazeré da Mata, três polos com o maior número de alunos. Este ano, além dos municípios que funcionaram em 2012, houve o acréscimo de Igarassu, São Lourenço da Mata, Timbaúba, Custódia, Ouricuri e Petrolândia, todos com 200 vagas.
As provas serão realizadas no dia 26 de maio. O edital com o cronograma completo, inclusive com a data do resultado, estará disponível no site. As matrículas e início das aulas acontecem no dia 1º de junho, em todos os municípios participantes do projeto. Os conteúdos programáticos e os locais de funcionamento estarão disponíveis também no endereço eletrônico, nos anexos I e II do edital, respectivamente, a partir do dia 26.

No ano de 2012, o Prevupe aprovou 2.151 alunos em todos os municípios e em diferentes cursos de graduação da UPE, Covest, IFET e Autarquias Públicas. O curso, que oferece aulas presenciais preparatórias para o vestibular, é custeado pelo Governo do Estado. Mais informações pelo telefone: 3033-7387.

Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2013/04/26/interna_vidaurbana,436158/prevupe-inicia-inscricoes-nesta-sexta-feira.shtml







www.professoredgar.com

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Intercâmbio:Camila na Nova Zelândia

De Camila Barbosa
Em Leituras na Sala de Aula

Delwyn Campbell e Camila Barbosa
                                                            Festival de Verão


 Isabela Silva e Camila Barbosa










Leituras de imagens, Reflexão e Debates
O que o estudo e a educação representam para sua vida ?
Quem são os jovens ?
Leia mais: Conhecendo a Cultura da Nova Zelândia em www.professoredgar.com
Professor Edgar Bom Jardim - PE/ Mural doFacebook

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Casas das Juventudes entrega certificados

 Concluintes do primeiro  curso de informática da Casa das Juventudes de Bom Jardim receberam seus certificados


Professor Edgar Bom Jardim - PE

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Brasil Carinhoso é ampliado para atender mais brasileiros



Programa de transferência de renda passará atender crianças de 7 a 15.
Expansão do programa vai representar custo adicional de R$ 1,74 bilhão.

Priscilla Mendes e Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília
276 comentários
Dilma-Brasil Carinhoso (Foto: Agência Brasil)Dilma anuncia ampliação do Brasil Carinhoso
(Foto: Agência Brasil)
A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quinta-feira (29) a expansão do programa de transferência de renda Brasil Carinhoso, que agora passará a atender crianças na faixa etária de 7 a 15 anos e não mais somente de 0 a 6 anos.
O Brasil Carinhoso prevê que todas as famílias extremamente pobres com pelo menos uma criança tenham renda mínima de R$ 70. Ou seja, famílias que já recebem o Bolsa Família, mas que não atingem renda per capita de R$ 70 terão um complemento no benefício para deixar a situação de pobreza absoluta.
O governo considera como extremamente pobres, miseráveis ou na pobreza absoluta as famílias cuja renda mensal por pessoa é inferior a R$ 70.
A expansão do programa vai representar um custo adicional de R$ 1,74 bilhão por ano no orçamento do Bolsa Família, programa por meio do qual é feita a transferência às famílias extremamente pobres com pelo menos um filho de 0 a 15 anos.
O previsão de orçamento do Bolsa Família em 2013, segundo o MDS, é de R$ 23,1 bilhões.
Quando foi lançado, em maio deste ano, o programa previa atender crianças de 0 a 6 anos. Com a ampliação da faixa etária anunciada nesta quinta-feira, 2,9 milhões de crianças de 7 a 15 anos poderão ser beneficiadas. 
O valor médio do benefício recebido pelas famílias que têm crianças de 0 a 15 anos será de R$ 235 por mês, segundo o ministério.
O total de pessoas atingidas pelo programa – somando todos os integrantes das famílias que têm crianças de 0 a 15 anos – será de
16,4 milhões, segundo o MDS, que coordena o Brasil Carinhoso.
A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, afirmou em discurso que os benefícios para famílias com crianças de 7 a 15 anos serão pagos a partir do dia 10 de dezembro.
“Não temos como tirar uma criança da miséria sem tirar toda a sua família. Por isso, transferimos o suficiente para que cada pessoa da família tivesse R$ 70 reais. Ao todo, desde a criação do programa, mais de 9 milhões de pessoas superaram a miséria. Os resultados obtidos nos motivaram a ampliar o público”, afirmou.
A ministra destacou que o Brasil Carinhoso reduz a desigualdade em todas as faixas etárias, já que os recursos beneficiam cada integrante da família com criança de 0 a 15 anos. “A pobreza extrema cai em todas as faixas etárias, não só nas crianças de 0 a 6 anos e de 7 a 15 anos.
O Brasil Carinhoso impacta a renda da família. Toda a família passa a receber recursos.”
Tereza Campello afirmou ainda que um dos objetivos do programa é buscar famílias pobres que ainda não estão sendo beneficiadas. “Já localizamos 800 mil novas famílias que não estavam no cadastro. Será necessário localizar e incluir novas 700 mil famílias”, disse.
 



Professor Edgar Bom Jardim - PE

domingo, 11 de novembro de 2012

Sexo anal, orgasmo e doenças

Tire dúvidas com especialista

dicasdemulher.com.br/Por Carolina Werneck


Não adianta. Por mais que demore, um dia, 99% dos homens vão tocar nesse assunto com suas parceiras: sexo anal. O tema é espinhoso e, como não poderia deixar de ser, razão de debates acalorados entre os casais. As adeptas dessa prática garantem que ela proporciona um prazer muitas vezes até mais intenso que o sexo vaginal mas, para quem nunca experimentou, a ideia continua sendo incômoda e, fazendo um trocadilho infame, até mesmo dolorosa.
Preparamos um guia com as seis perguntas mais comuns respondidas por especialistas.

1 – Por que o sexo anal é tão associado à AIDS?

Os primeiros registros sobre o modo de transmissão do HIV são de pacientes que contraíram a doença através do sexo anal. Durante muitos anos, aliás, acreditou-se que o sexo vaginal não transmitia o vírus. É mais fácil contrair a AIDS (e qualquer DST) com a prática do sexo anal porque ele causa pequenas fissuras no reto, que acabam servindo de entrada para o HIV, segundo a sexóloga Laura Müller.

2 – Sexo anal causa hemorroida?

Não. Esta afirmação, apesar de comum, não passa de mito. De acordo com o urologista, sexólogo e terapeuta sexual Celso Marzano, “isso (…) vem de uma crença e de educação preconceituosas de que o sexo é só para reprodução, portanto, só vaginal”. No entanto, convém evitar manter penetração anal se a hemorroida já existente estiver inflamada, porque as chances de doer são muito maiores nesses períodos.

3 – Dói? É normal que doa?

A dor e o desconforto são os medos mais comuns na maioria das pessoas que não praticam o sexo anal. No entanto, eles não são regra. Pessoas que o fazem com frequência sentem pouca ou mesmo nenhuma dor. É normal sentir algum desconforto, principalmente nas primeiras vezes mas, se o incômodo persistir, é sinal de que aquele não é o melhor momento para a prática.

4 – Posso engravidar praticando sexo anal?

A entrada que leva o esperma até o aparelho reprodutor feminino (útero, ovários, trompas e companhia) é a vagina. O ânus não possui ligação com este “caminho” e, portanto, não é possível engravidar com o sexo anal.

5 – É preciso usar camisinha?

Sim, sim e sim! O uso da camisinha é indispensável em qualquer prática sexual, seja anal, vaginal, oral ou qualquer outra possível variação. Isso porque a camisinha serve não apenas para não engravidar, mas para evitar o contágio das doenças sexualmente transmissíveis. “No sexo anal, seu uso é obrigatório, já que a mucosa anal absorve facilmente vírus e bactérias. Além disso, há restos de fezes que podem entrar no canal da uretra, se depositar ali e causar coceiras e corrimentos no homem”, diz Carla Cecarello, psicóloga e sexóloga.

6 – Existe uma posição ideal?

Não. A melhor posição é aquela em que ambos se sintam confortáveis e relaxados. O ideal é que os dois tenham vontade de experimentar o sexo anal e estejam completamente à vontade com o tema.
Atenção: você não deve se submeter a nenhuma prática sexual apenas para satisfazer seu parceiro. É muito importante estar segura das suas vontades e desejos. Se praticado com desejo e consciência, o sexo anal tem tudo para ser um tempero extra nas suas relações.

Professor Edgar Bom Jardim - PE