domingo, 23 de julho de 2017

Comprovação de cachê inviabilizou apresentação de Miro no FIG 2017. Veja programação.

Artista consagrado pelo público Miro dos Bonecos foi barrado pela burocracia da comprovação de cachê. Fundarpe e TCE dificultam a sobrevivência de artistas e grupos  de cultura popular.  

Música, cinema, teatro, dança, circo, literatura, gastronomia e artes visuais dão o tom do primeiro final de semana da 27ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), que teve início na última quinta-feira. Nestes sábado (22) e domingo (23), a programação traz ao Agreste de Pernambuco artistas de diferentes gerações e estilos. Um dos destaques é a apresentação da cantora Baby do Brasil, que pela primeira vez participa do evento. Ela sobe ao palco Mestre Dominguinhos com seu show solo, encerrando a noite deste sábado. 

Antes da musa dos Novos Baianos, a vez é de Alice Caymmi. A neta de Dorival vem com um show em que mistura músicas de seu último disco, “Rainha dos raios” (2014), com inéditas. Em fevereiro, a artista lançou o single “Louca”, regravação de uma música da banda de brega recifense Kitara. Na mesma noite, a partir das 20h, se apresentam Rogério e os Cabras, Maciel Salu e Cantos Rurais, projeto de poesia popular e viola com Adiel Luna e Mestre Bule-Bule.

No domingo, a programação do palco Mestre Dominguinhos começa com Cafuringa e Banda, Donas, Zé Brown e Ifá. Depois da meia-noite, Zeca Pagodinho coloca o público do FIG para sambar. O músico fluminense substitui o show do baiano Tom Zé, que acabou não fechando contratação por conta de problemas de documentação. 

O projeto Som na Rural estaciona no Parque Euclides Dourado. No sábado, a partir das 18h, se apresentam o Coletivo Bartira, Ganga Barreto e Ylana Queiroga, finalizando com show de Angela Ro Ro. Na noite seguinte, Diablo Angel, Bruno Souto e Graxa são as atrações. Neste final de semana, o Palco de Cultura Popular Ariano Suassuna também recebe apresentações, sempre a partir das 12h. 

O Conservatório Pernambucano de Música preparou uma série de concertos para a Catedral de Santo Antônio. No sábado, o programa abre espaço para o Quinteto Danilo Brito e a dupla Francis e Olivia Hime. Já no domingo, a orquestra e o coro de câmara do conservatório se unem a vários solistas, com regência de José Renato Accioly. Em seguida, é a vez da pianista Ellyana Caldas. 

Artes cênicas
A cantora e atriz paulista Cida Moreira encena o espetáculo “Cabaret Brecht, canções de Kurt Weill e Bertolt Brecht”, no Teatro Luiz Souto Dourado, no sábado, às 17h. Haverá participações da atriz Maeve Jinkings e do ator Arilson Lopes recitando poesias do dramaturgo. Já no domingo, o destaque é para o infantil “Estação dos contos”, do Grupo Estação de Teatro (RN). A obra é uma peça de contação de histórias intercaladas com músicas e brincadeiras populares.

Sesc
No campo das artes visuais, a Galeria de Artes Ronaldo White (Sesc Garanhuns) recebe a mostra “32ª Bienal de São Paulo - Itinerância”, um recorte da última edição de um dos maiores eventos artísticos do Brasil. Trazendo o tema “Incerteza Viva”, a exposição reúne trabalhos de nove artistas: Bárbara Wagner, Cristiano Lenhardt, Ebony G. Patterson, Gilvan Samico, Jonathas de Andrade, José Bento, Leon Hirszman, Rosa Barba e Wilma Martins. As visitas ocorrem das 9h às 21h. 

Chuvas
Mesmo com o Governo do Estado havendo decretado situação de emergência em Garanhuns e outros municípios pernambucanos, esta semana, a assessoria de imprensa do FIG informou que não houve nenhuma alteração na programação do festival até o fechamento desta edição.

Veja a agenda de shows deste fim de semana:

Sábado (22/7)


Palco Mestre Dominguinhos
20h – Rogério e os Cabras
21h – Maciel Salu
22h - Cantos Rurais: Adiel Luna (PE) e Mestre Bule-Bule (BA)
23h – Alice Caymmi (RJ)
0h30 – Baby do Brasil (RJ)

Palco de Cultura Popular Ariano Suassuna
12h – Reisado Garanhuns Cultural
13h – Aria Social
14h – Coco Miudinho da Xambá
15h – Maracatu Nação Raízes de Pai Adão
16h – Flabelos Cantantes: Encontro de Blocos Líricos
(Seresteiros de Salgadinho /Banhistas do Pina / Um Bloco em Poesia)
17h – Grupo Xaxado Cabras de Lampião
18h – Ciranda Bela Rosa

Som na Rural
Parque Euclides Dourado
18h – Aganjú | Circo Coletivo Bartira
19h – Ganga Barreto
20h20 – Ylana Queiroga
22h30 – Angela Ro Ro (RJ)
Intervalos e fim de noite: DJ Renato da Mata

Domingo (23/7)
Palco Mestre Dominguinhos
20h – Cafuringa e Banda
21h – Donas
22h – Zé Brown
23h – Ifá (BA)
0h30 – Zeca Pagodinho

Palco de Cultura Popular Ariano Suassuna
12h – Valdir Mariano
13h – Reisado Mestre João Tibúrcio
14h – Boi Tá Tá Tá
15h – Tribo Indígena Carijós do Recife
16h – Coco dos Pretos
17h – Bloco Compositores e Foliões
18h – Maracatu de Baque Solto Leão Vencedor de Carpina
19h – Afoxé Omolu Pa Kerú Awo

Som na Rural
Parque Euclides Dourado
19h – Diablo Angel
20h20 – Bruno Souto
22h30 - Graxa
Com Informações de Folha de Pernambuco /
Professor Edgar Bom Jardim - PE

O procurador Deltan Dallagnol ironizou comentário do presidente sobre tolerância do brasileiro a aumento de tributos

O procurador Deltan Dallagnol ,da Lava Jato (Foto: Alan Marques/Folhapress)
Coordenador da Lava Jato no Paraná, o procurador Deltan Dallagnolironizou, em uma postagem no Facebook, o comentário do presidente Michel Temer sobre a tolerância do brasileiro em relação ao aumento de tributos sobre combustíveis. “É claro que os brasileiros vão compreender o aumento de impostos.” Ato contínuo, Dallagnol elencou razões pelas quais, segundo ele, o governo necessita aumentar impostos. “Desviam 200 bilhões por ano praticando corrupção; deixam de aprovar no Congresso medidas anticorrupção; gastam mais do que devem inclusive via emendas milionárias para parlamentares a fim de comprar o apoio parlamentar para livrar Temer da acusação legítima por corrupção; e agora querem colocar a conta disso tudo no nosso bolso, aumentando impostos”. 
Por fim, o procurador sugere aos brasileiros que se lembrem desse episódio nas eleições de 2018. “Toda vez que eu for abastecer o carro, que eu pensar na saúde e educação pobres, que eu topar com buracos em estradas e infraestrutura precária que prejudica investimentos, vou lembrar disso tudo. E em 2018 vou mostrar toda a minha compreensão do que está acontecendo e dar minha resposta contra os corruptos, como cidadão, nas urnas.”

Flávia Tavares/Época.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

Poluição ameaça 'tornar a Terra um 'Planeta de plástico'

Plástico em praia do CaribeDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionNo ritmo atual, será preciso esperar até 2060 para que a reciclagem de plástico supere sua ida para aterros sanitários
Cientistas americanos calcularam a quantidade total de plástico já produzida pela humanidade, e afirmam que ela chega a 8,3 bilhões de toneladas.
E essa massa impressionante de material foi criada apenas nos últimos 65 anos.
A quantidade de plástico pesa tanto quanto 25 mil edifícios Empire State Building, em Nova York, ou um bilhão de elefantes.
A questão, no entanto, é que itens plásticos, como embalagens, costumam ser usados por curtos períodos de tempo antes de serem descartados.
Mais de 70% da produção total de plástico está em esgotos, que vão principalmente para aterros sanitários - apesar de que a maior parte dela é acumulada nos ambientes abertos, incluindo os oceanos.
"Estamos caminhando rapidamente para um 'Planeta de plástico', e se não quisermos viver neste mundo, teremos que repensar a maneira como usamos alguns materiais", disse à BBC o especialista em ecologia industrial Roland Geyer.
Homem coleta plástico das águas do mar nas FilipinasDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionPelo menos 4 bilhões de toneladas de plástico foram fabricadas apenas nos últimos 13 anos
O estudo sobre o plástico feito por Geyer e seus colegas da Universidade de Califórnia, nos Estados Unidos foi divulgado pela publicação científica Science Advances.
Trata-se da primeira estimativa global de quanto plástico foi produzido, como o material é usado em todas as suas formas e aonde ele parar. Estes são alguns dos principais dados.
  • 8,3 milhões de toneladas de plástico virgem foram produzidas nos últimos 65 anos
  • Metade deste material foi produzido apenas nos últimos 13 anos
  • Cerca de 30% da produção histórica continua sendo usada até hoje;
  • Do plástico descartado, apenas 9% foi reciclado;
  • Cerca de 12% foi incinerado, mas 79% terminou em aterros sanitários;
  • Os itens de menos uso são embalagens, utilizadas por menos de um ano;
  • Os produtos plásticos com uso mais longo estão nas áreas de construção civil e maquinaria;
  • Tendências atuais apontam para a produção de 12 bilhões de toneladas de lixo plástico até 2050;
  • Em 2014, a Europa teve o maior índice de reciclagem de plástico: 30%. A China veio em seguida com 25% e os EUA reciclaram apenas 9%.
Gráfico

Resíduo

Não há dúvida de que o plástico é um material impressionante. Sua adaptabilidade e durabilidade fizeram com que a produção e uso ultrapassasse a maior parte dos materiais feitos pelo homem, com a exceção de aço, cimento e tijolos.
Desde o começo da produção em massa do plástico nos anos 1950, os polímeros estão em toda parte - incorporados a tudo, desde embalagens até roupas, de partes de aviões a retardadores de chamas. Mas são justamente essas qualidades maravilhosas do plástico que representam um problema crescente.
Nenhum dos plásticos normalmente usados são biodegradáveis. A única forma de se desfazer de seus resíduos é destrui-los através de um processo de decomposição conhecido como pirólise ou por simples incineração - apesar de que este último é mais complicado, por causa de preocupações com as emissões de gases poluentes.
Enquanto não se desenvolve uma maneira eficiente e sustentável, o resíduo se acumula. Atualmente, segundo Geyer e seus colegas, há restos de plástico suficientes no mundo para cobrir um país inteiro do tamanho da Argentina.
A expectativa da equipe é que o novo levantamento dê impulso ao diálogo sobre como lidar com a questão.
"Nosso mantra é: não dá para administrar o que não dá pra medir. Então queremos divulgar esses números sem dizer ao mundo o que ele deveria estar fazendo, mas para começar uma discussão real", afirma o pesquisador.
Os índices de reciclagem no mundo estão aumentando e a química moderna trouxe alternativas biodegradáveis ao plástico, mas fabricá-lo continua sendo tão barato que é difícil deixar de lado o produto.
A mesma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia, Santa Barbara já havia produzido, em 2015, um levantamento do total de resíduos plásticos que vai para os oceanos a cada ano: 8 milhões de toneladas.
Resíduos de plástico preparados para a reutilizaçãoDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionCerca de 90% do plástico que foi reciclado no mundo foi reutilizado apenas uma vez, segundo pesquisadores

'Tsunami'

A ida dos resíduos plásticos para o mar, em particular, é o principal alvo da preocupação dos cientistas nos últimos anos, por causa da comprovação de que parte deste material vai para a cadeia alimentar dos peixes e de que outras criaturas marinhas ingerem pequenos fragmentos de polímeros.
"Estamos enfrentando um tsunami de resíduos plásticos e precisamos lidar com isso", disse à BBC o oceanógrafo Erik van Sebille, da Universidade de Utrecht, na Holanda, que monitora a presença do plástico nos oceanos.
"Precisamos de uma mudança radical na maneira como lidamos com os restos do plástico. Mantendo os padrões atuais, teremos que esperar até 2060 para que mais plástico seja reciclado do que jogado em aterros e no meio ambiente. É devagar demais, não podemos esperar tanto", afirmou.
Outro motivo pelo qual a reciclagem de plástico ainda pode estar avançando lentamente é o design dos produtos, segundo Richard Thompson, professor de biologia marinha na Universidade de Plymouth, no Reino Unido.
"Se os produtos de plástico fossem criados com a reciclagem em mente, eles poderiam ser reutilizados muitas vezes. Uma garrafa, segundo alguns estudos, poderia ser reciclada até 20 vezes. Isso seria uma redução significativa dos resíduos", disse à BBC.
Para Rolando Geyer, o ideal da reciclagem "é manter o material circulando pelo maior tempo possível".
"No entanto, percebemos no nosso levantamento que 90% do material que de fato foi reciclado - cerca de 600 milhões de toneladas - só foi reciclado uma vez", explica.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

Crime bárbaro. Violência descontrolada em Bom Jardim

Por volta de 02:00 horas da manhã deste domingo 23 de julho 2017, criminosos invadiram a casa e mataram com mais de um tiro de arma de fogo Ivan Barbosa, conhecido por Cego.
Segundo informações de familiares da vítima a ação foi praticada por 6 pessoas que invadiram a casa de morador vizinho pra chegar a alvo. O corpo de cego foi levado para IML em Recife. O extinto tem menos de 40 anos dei idade.
A violência vem crescendo assustadoramente no município de Bom Jardim.
Foto: Bom Jardim Notícia
Professor Edgar Bom Jardim - PE

Corpo da professora Eleta Barros será sepultado neste domingo

Faleceu aos 74 anos de idade na cidade de  Recife, neste sábado 22 de Julho 2017, Eleta Barros de Arruda, viúva do saudoso Biu Samuel. Dona Eleta, era professora aposentada do estado. Seu corpo está sendo velado em sua residência na Rus Israel Fonseca, próximo do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bom Jardim. O sepultamento será às 16:00 horas no cemitério da cidade. A família enlutada agradece a solidariedade de todos.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

sábado, 22 de julho de 2017

Não tem carro? Como o aumento do combustível também afeta seu bolso



Homem em supermercadoDireito de imagemMARCELO CAMARGO/AGÊNCIA PÚBLICA
Image captionTransporte mais caro afeta desde os preços de alimentos até artigos de vestuário e eletrônicos

A elevação de impostos sobre combustíveis anunciada nesta semana pelo governo federal pesa no bolso não apenas de quem tem que abastecer.
A gasolina e o diesel mais caros pressionam os custos de uma série de serviços, do frete ao transporte público, e podem provocar alta nos preços de produtos que vão de alimentos a roupas, calçados e eletrônicos.
O maior impacto indireto vem do diesel. O efeito cascata do aumento sobre o transporte de mercadorias e, por consequência, sobre o preço de produtos vendidos em supermercados, shoppings e no comércio popular deve adicionar 0,18 ponto percentual à inflação de 2017, estima o economista Fabio Romão, da LCA Consultores.
Essa conta é dividida entre todos os consumidores, que pagam por pequenos aumentos em dezenas de produtos.
Se tomado isoladamente, o peso do aumento do diesel nas bombas é bem inferior, de apenas 0,01 ponto percentual, contra 0,45 da gasolina, ainda de acordo com as projeções da consultoria.
Mesmo com a soma de todos esses efeitos, resultado da estratégia do governo para aumentar sua arrecadação, a inflação deve terminar o ano "comportada", destaca Romão, em 3,7%.

Efeito cascata

Quanto mais um produto viaja, mais caro é seu transporte. Em média, 5% do preço das mercadorias no Brasil correspondem ao custo de frete, o caminho das fábricas às gôndolas e às araras.


Trecho da BR-163 no ParáDireito de imagemMÁRCIO FERREIRA/AG. PARÁ
Image captionFrete corresponde em média a 5% dos preços das mercadorias vendidas no país

Com o diesel que alimenta os caminhões mais caro, a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC) estima que o preço do frete suba 4% nos próximos meses.
Esse percentual tende a ser maior, por exemplo, em regiões como Norte e Nordeste, destino de parte do que a indústria do Sudeste e Sul produz, diz o assessor técnico da entidade Antônio Lauro Valdívia.
O repasse desse aumento de custos ao comércio, entretanto, é menor em períodos de crise como o atual, pondera a economista da MCM Consultores Basiliki Litvac. Para não correr o risco de perder clientes, as empresas que conseguem optam por reduzir as margens de lucro e subir menos os preços.

Transporte público



Terminal de ônibus em BrasíliaDireito de imagemTONINHO TAVARES/AGÊNCIA BRASÍLIA
Image captionCustos maiores podem levar empresas a pressionar prefeituras por aumento nos subsídios

A alta do diesel também coloca maior pressão sobre os reajustes de transporte público, diz Romão, da LCA Consultores, à medida em que eleva o custo das empresas de ônibus.
No município de São Paulo, ele exemplifica, que congelou as tarifas em R$ 3,80, o volume de subsídios repassados pela prefeitura às concessionárias chegou a R$ 1,2 bilhão em maio, pouco mais de 70% do total que a administração do prefeito João Doria (PSDB) previa gastar neste ano, R$ 1,7 bilhões.
"Já havia um aumento encomendado para 2018, mas essa alta eleva o risco de que haja necessidade de reajuste ainda neste ano", ele destaca.
A manutenção das tarifas foi uma das promessas de campanha de Doria, que tem revisto parte das gratuidades do sistema de transportes para controlar o avanço das despesas com subsídios.

Contas do governo

O incremento das alíquotas de PIS e Cofins sobre a gasolina, o diesel e o etanol deverá render aos cofres do governo R$ 10,4 bilhões até o fim deste ano, de acordo com as estimativas do Ministério da Fazenda.
Os recursos vão ser usados para cumprir a meta de resultado primário do governo - uma economia para pagar os juros da dívida -, que é de prejuízo de R$ 139 bilhões. Este será o terceiro ano em que as contas do governo vão fechar no vermelho, com consequente aumento do endividamento público.
Se o aumento for totalmente repassado para a gasolina, a alta nas bombas dos postos será de 11,8%, levando o preço do litro da média atual de R$ 3,49 para R$ 3,90. Para o litro do diesel, o incremento seria de 7,25%, de R$ 2,94 para R$ 3,16.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

Apocalipse desejado


Há na certeza do azul um horizonte que não magoa,
uma história que não tem medo do perdão.
Não é possível adivinhar o tamanho da sorte,
nem se intrigar com o brilho das estrelas.
Os amores cedem quando desmancham sonhos,
se esfumaçam quando se fixam num espelho.
Não pense na ultima forma do mundo,
conte as aventuras como se os anjos adormecidos
espantassem as visão do apocalipse desejado
Por Paulo Rezende
Professor Edgar Bom Jardim - PE

sexta-feira, 21 de julho de 2017

PE: chuvas provocam 61 deslizamentos e deixam 369 desalojados em 24 horas


Foram registrados 61 deslizamentos de barreiras em Pernambuco após as chuvas da madrugada desta sexta-feira (21). Quase 400 pessoas estão desalojadas e 415, desabrigadas. Desde o início do período de chuvas em Pernambuco, em maio, já foram registradas cinco mortes, 1.403 desabrigados e 6.512 pessoas desalojadas no Estado.

Os treze municípios mais atingidos pelas precipitações das últimas 24 horas são: Sirinhaém, Rio Formoso, Barreiros, Ribeirão, Gameleira, Escada, Primevera, Bonito e Cortês, na Zona da Mata; Barra de Guabiraba, no Agreste, além de Tamandaré, Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho, na Grande Recife.

Leia mais
Fim de semana de chuvas com intensidade de fraca a moderada na RMR


Estado de emergência
Em maio, foram decretados estado de emergência em 27 cidades afetadas pelo grande volume de chuvas. Elas são: Amaraji, Água Preta, Barra de Guabiraba, Belém de Maria, Catende, Cortês, Jaqueira, Maraial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, Barreiros, Gameleira, Caruaru, Ipojuca, Joaquim Nabuco, Jurema, Lagoa dos Gatos, Primavera, Quipapá, Sirinhaém, Tamadaré, Xexéu, São José da Coroa Grande, Bonito e Escada.

Nesta semana, a cidade de Garanhuns, no Agreste, também decretou estado de emergência. No município, já choveu 78% a mais do que a média de julho, de acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac).

Doações
De acordo com dados do Governo do Estado, nesta sexta-feira (21), foram distribuídas 620 cestas básicas e 684 colchões. Pouco mais de 412 toneladas de cestas básicas com alimentos de pronto consumo foram arrecadadas e distribuídas, além de 186,2 toneladas de alimentos avulsos, 118,7 toneladas de roupas, 252.288 litros de água, 28.759 colchões e 17,3 toneladas de materiais de higiene e limpeza. Também foram instalados 282.400 m² de lonas para a proteção de barreiras.

Os interessados em ajudar financeiramente os 27 municípios da Mata Sul pernambucana que estão em estado de emergência desde maio, podem fazer depósitos na Caixa Econômica Federal, agência 1294, conta 71037-9. 

Os recursos farão parte do Fundo de Amparo aos Municípios Atingidos pelas Chuvas (FAMAC), estabelecido pelo decreto 44.692/2017. O montante arrecadado será investido em melhoria dos abrigos; reconstrução de bueiros, passagens molhadas e pontes; restabelecimento de escolas, hospitais e postos de saúde danificados pela enchente; e ajuda humanitária.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

'Me dá pena, pena pelo Brasil', diz Mujica sobre manobra para salvar Temer na Câmara


José Mujica, ex-presidente do UruguaiDireito de imagemEPA
Image caption"Cada lei é uma negociação à parte. Então, em vez de ser um parlamento, o Congresso (brasileiro) acaba virando uma bolsa de valores", afirma Mujica

O ex-presidente do Uruguai e atual senador José 'Pepe' Mujica, de 82 anos, classifica como "triste" o fato de que se tenha trocado integrantes da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara para garantir a rejeição do parecer que recomendava o avanço da denúncia por corrupção passiva contra Michel Temer.
"Tudo isso é muito triste. É um cenário que coloca o Brasil, na visão internacional, como uma república muito desprestigiada. O Brasil não merece isso", afirma em entrevista à BBC Brasil. É, diz, algo que lhe faz sentir "pena".
"Me dá pena. Pena pelo Brasil por ver o que aconteceu com uma comissão que estava estudando as eventuais acusações, em que tiveram que mudar a composição dessa comissão. E tudo indica que houve muita influência para poder colocar gente que não decepcionasse o governo."
Professor Edgar Bom Jardim - PE