Mostrando postagens com marcador Esportes. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Esportes. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Bela vitória do Náutico


A agonia, enfim, parece dar uma trégua ao Náutico. Na noite desta terça (15), o Timbu mostrou que sua reação na Série B não é mero fogo de palha e venceu mais uma vez. A terceira vitória nos últimos quatro jogos. A "vítima" da vez foi o Figueirense, que perdeu por 2x0 na Arena de Pernambuco. Os gols do confronto foram anotados pelo meia Giovanni e o veterano atacante William. Com o resultado, os alvirrubros chegaram a 17 pontos e, provisoriamente, deixaram a lanterna da Série B. 

O Náutico começou a peleja como era de se esperar de uma equipe no desespero. Postada ofensivamente, brigando pelas sobras de bola, ainda que pecasse na qualidade. E o placar não tardou a ser aberto. A primeira grande chance saiu em um lance de bola parada. Erick bateu escanteio rasteiro, para a entrada da área. Giovanni, que voltava após um mês parado por conta de lesão, ajeitou com a esquerda e bateu forte com a direita, sem chances para Saulo, aos 17 minutos de jogo.

Os visitantes responderam pouco depois com Luidy, que mandou para fora. Não demorou muito para o Timbu retomar as ações do jogo. E o segundo gol também aconteceu sem muita demora. Aos 31 minutos, Giovanni, sem dúvidas o nome do jogo, descolou um belo passe, da intermediária, que cortou a linha de defesa do Figueirense. Breno Calixto ficou com a bola e rolou para o estreante William, livre de marcação, estufar as redes e fazer 2 x 0 para os alvirrubros.
Fonte:Folha de Pernambuco
Publicado em 16/08/2017.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

domingo, 6 de agosto de 2017

Por que Neymar, ganham tanto dinheiro?


Neymar no Paris Saint-GermainDireito de imagemREUTERS
Image captionQual a explicação lógica e matemática dos valores estratosféricos da ida de Neymar ao PSG?

A chegada de Neymar ao Paris Saint-Germain já ficou marcada na história do futebol, não ainda pelos ganhos esportivos do clube com o craque brasileiro, mas pelo lado financeiro do negócio.
O clube pagou 222 milhões de euros (R$ 815 milhões) ao Barcelona para contratar o jogador, o maior valor já visto em uma transação do futebol - é mais que o dobro do recorde anterior, a contratação do meio-campista Paul Pogba pelo Manchester United, da Inglaterra, por 105 milhões de euros no início deste ano.
Além disso, a equipe francesa ofereceu R$ 110 milhões por ano em salários para convencer Neymar a trocar Barcelona por Paris. Numa conta simples, isso equivaleria a mais de R$ 300 mil por dia - ou a R$ 12,5 mil por hora. Um valor que poucos conseguem ganhar em uma vida inteira de trabalho.
Os números parecem exorbitantes, fora de qualquer realidade. Mas, segundo especialistas consultados pela BBC Brasil, têm alguma explicação lógica e matemática.
"Hoje está evidente que (o futebol) é um mercado de entretenimento. Nos Estados Unidos, é mais normal ver o esporte como essa indústria, mas o futebol está se consolidando nisso agora. Está virando cada vez mais espetáculo", diz a economista Elena Landau, que trabalhou no BNDES, foi diretora do Programa de Desestatização do governo FHC e atuou no Atlético-MG e no Botafogo (seu time do coração).
"A final da Liga dos Campeões, por exemplo, é hoje em dia quase um Super Bowl (final da NFL, a liga de futebol americano)", compara.

Neymar e Brad Pitt

Landau compara o mercado do futebol ao mercado de entretenimento de Hollywood - um ator como Brad Pitt recebe valores altíssimos para fazer um filme, o que seria proporcional à movimentação financeira que se espera da película.
A lógica para o futebol hoje seria a mesma: as estrelas, como Neymar, são muito bem pagas porque são as protagonistas de um espetáculo que envolve cada vez mais dinheiro.

Final da Liga dos Campeões em junhoDireito de imagemREUTERS
Image captionFinal da Liga dos Campeões, em junho: 'é quase um Super Bowl' em termos de mercado de entretenimento e internacionalização, dizem analistas

"O futebol é um dos poucos segmentos, senão o único, em que o funcionário ganha mais que o patrão. O presidente de um clube ganha menos que o jogador", observou o especialista em marketing esportivo Erich Beting.
Isso porque sem os jogadores, sem as estrelas, não há o espetáculo que movimenta todo esse dinheiro, explica Beting. Ele ressalta que, principalmente na última década, os clubes europeus passaram a "internacionalizar" sua marca e, com isso, multiplicaram seus lucros.
"Eles estão a cada ano aumentando a receita porque as marcas dos clubes europeus se tornaram globais. O PSG tem programa de associação de membros (algo como um "sócio-torcedor") mundial, qualquer um pode se associar no mundo inteiro. Os clubes se tornaram potências globais como nunca foram, ajudados pela Liga dos Campeões, que também se tornou mundial."
Para se ter uma ideia desse crescimento, o Barcelona, por exemplo, aumentou quase 300% seu faturamento nos últimos 10 anos - de 259 milhões de euros em 2006 para 689 milhões em 2016 -, segundo os números oficiais do clube.
Em 2011, antes de ser comprado por um fundo de investimento do Catar, o PSG faturou 221 milhões de euros, de acordo com o estudo Football Money League, da consultoria Deloitte. Hoje, esse valor subiu para 520 milhões de euros - quase metade do faturamento do clube foi investido na contratação de Neymar.
"Esse investimento é irracional. O Real Madrid, por exemplo, não faria algo assim, a não ser que visse uma equação em que ganharia em todos os sentidos. Mas o PSG precisava dessa autoafirmação, então ele construiu essa loucura. Porque você não mede o retorno só do dinheiro, mas também do prestígio. E como o PSG tem um fundo de investimento por trás, ele tem dinheiro para correr esse risco", pontua Beting.

O fator Neymar

Tanto Landau quanto Beting classificam o caso Neymar como um ponto fora da curva nas negociações do mundo do futebol.
"O negócio não seria de risco se ele (clube) dissesse 'não me importo em perder dinheiro', o que talvez seja um pouco o caso do PSG, que tem o fundo por trás. E você olha para o clube e tem tudo a ver, porque lá ainda falta um ídolo, uma pessoa que vai levar mídia, uma visibilidade que eles não têm", afirma ela.

Ernesto Valverde, técnico do BarcelonaDireito de imagemREUTERS
Image captionO Barcelona, do técnico Ernesto Valverde (acima), aumentou quase 300% seu faturamento nos últimos 10 anos

Ainda carente do troféu mais cobiçado na Europa - o da Liga dos Campeões - e tendo esbarrado justamente no Barcelona diversas vezes na fase eliminatória, o Paris Saint-Germain vê em Neymar a chance de conquistar a taça que nunca veio e, consequentemente, as cifras que a acompanham.
"Existem os aspectos esportivo e econômico. Pelas cifras envolvidas, a gente pergunta: o Neymar vai se pagar? Não, ele não deve se pagar. É um negócio que dificilmente se paga na ponta do lápis", pondera Beting.
Mas ele agrega que o jogador brasileiro "tem sido cada vez mais frequente na mídia em geral, não só no Brasil. Tem grande relevância nas redes sociais. Na semana passada, estava jogando com o Barcelona nos EUA, e o Tiger Woods (jogador de golfe) tirou foto com ele e com a camisa do Barça, outros astros da NBA fizeram a mesma coisa. Ele transita em muitos territórios e, quando você tem um embaixador desse, é um baita ganho de imagem".
Além da visibilidade e da mídia que Neymar atrai consigo, os especialistas pontuam que, por causa dele, o PSG também deve ganhar novos patrocinadores, deve receber mais por cotas de TV, aumentar a receita de estádio e até vender mais produtos. A expectativa anunciada pelo clube é de vender 1 milhão de camisas do craque brasileiro - que renderiam ao time 40 milhões de euros.
E tudo isso, segundo Beting, está embutido no preço para contratar Neymar. Além, claro, de ter de convencê-lo a deixar o Barcelona, um time já consagrado mundialmente, para ir para uma equipe com prestígio bem menor.
"O cara está apostando a ficha de que o Neymar vai solucionar a empresa dele, então está disposto a oferecer muito", diz Beting. "A gente tem um salto financeiro que dificilmente paga todo o investimento, porque tem o custo mensal de salário, mas traz imensuravelmente um retorno para o PSG."

Escalonamento do mercado

Para entendermos um pouco melhor o salto nos valores de transferências e salários de jogadores é preciso levar em conta uma série de fatores - a presença da TV, por exemplo, já que os direitos de transmissão constituem uma parte significativa das receitas de clubes, seja em São Paulo ou Paris.
Mas um divisor de águas ocorreu em dezembro de 1995, quando a Corte Europeia de Justiça deu ganho de caso ao belga Jean-Marc Bosman em uma ação que começou como um litígio trabalhista do jogador contra seu clube, o Standard Liege, da Bélgica, que se recusara a vendê-lo e diminuira seu salário.
A decisão deu uma liberdade de movimentação sem precedentes para jogadores em clubes europeus. Na prática, as novas regras determinavam que os atletas poderiam simplesmente ir, de graça, para outras equipes no fim de seus contratos, o que aumentou incrivelmente o poder de barganha deles e de seus empresários em negociações salariais. No Brasil, a Lei Pelé, que veio em 1998, tinha o mesmo objetivo.
Na Inglaterra, por exemplo, o salário médio mensal de jogadores da Primeira Divisão na época da decisão da corte europeia girava em torno de R$ 40 mil. Dez anos mais tarde, já atingia a marca de R$ 195 mil. Em 2015, passava de R$ 700 mil.

Estatuetas do OscarDireito de imagemPA
Image captionEstatuetas do Oscar: mercado do futebol se tornou de entretenimento, assim como Hollywood

A mesma coisa se deu com o valor de transferências: entre 1997 e 2017, o "recorde mundial" de transações saltou de R$ 61,7 milhões para os mais de R$ 800 milhões pagos pelo PSG ao Barcelona pelos serviços de Neymar.
O peso de salários nas finanças das equipes também aumentou consideravelmente. No futebol europeu, a folha de pagamento de jogadores corresponde, em média a mais de 60% da receita dos clubes.
Mas para o jornalista e autor do livro Soccernomics ("Economia do futebol"), Simon Kuper, a lógica é até "simples" para justificar os altos valores de salário pagos para Neymar.
"O valor de um jogador é estabelecido dentro de campo. É ali que você julga se ele é bom ou é ruim. E Neymar é muito bom. É muito mais fácil julgá-lo por gols e passes. O valor de um executivo, por exemplo, é muito menos claro. Um executivo ruim pode ser ruim sem prejudicar a empresa. Eu posso ser diretor de uma multinacional e disfarçar, mas as pessoas vão perceber rapidinho se eu tentar jogar pelo Barcelona", diz.
"Um jogador de futebol se expõe ao julgamento do público toda a semana em uma atividade mais competitiva e implacável que a maioria das outras. E ninguém joga com a camisa 10 porque tem padrinho, ao contrário do que acontece no mercado de trabalho tradicional."
É importante mencionar, porém, que o mercado salarial dos milhões é restrito a uma imensa minoria. Segundo relatório da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deste ano, 82% dos jogadores que atuam no Brasil ganham menos de R$ 2 mil - e 96% deles não ganham mais do que R$ 5 mil.
"Mas se a gente for pensar, quantos atletas de primeira linha existem no futebol mundial? No futebol brasileiro vão existir só 12 clubes que podem pagar esses salários altos. E não para muitos jogadores", ponta Beting.
"No caso de jogadores que ganham no nível do Neymar, a quantidade é a mesma de bilionários no mundo. É que esses casos, como os do Neymar, estão na mídia, enquanto os que ganham R$ 1 mil não estão."
Professor Edgar Bom Jardim - PE

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Muita alegria no Náutico


Após um jejum de quatro meses e 11 jogos, o Náutico voltou a vencer em casa. Na estreia do técnico Roberto Fernandes, a equipe derrotou o Luverdense por 1x0, na Arena de Pernambuco, pela Série B 2017, na noite desta sexta-feira (4). O último triunfo como mandante tinha sido no Campeonato Pernambucano, diante do Central. Os alvirrubros fecham o primeiro turno da competição na lanterna, com 14 pontos, mantendo vivo o sonho de escapar da degola. "Eu acredito", gritam os torcedores.

Após dois técnicos, três meses e nove jogos, o Náutico finalmente venceu a primeira partida em casa nesta Série B 2017. Com um gol de Erick, de pênalti, o Timbu bateu o Luverdense por 1x0, na Arena de Pernambuco, terminando o primeiro turno da competição com 14 pontos. A distância para o time de Lucas do Rio Verde, atualmente 17º colocado, é de seis pontos. Embora o momento seja de empolgação após o segundo triunfo consecutivo no torneio, o técnico Roberto Fernandes preferiu manter um tom modesto. 

“Dentro de uma realidade de pontuação, nada é mais importante do que vencer. Mas cabe a comissão técnica entender que a vitória não pode esconder o que precisamos melhorar. Ninguém faz uma campanha com tão poucos pontos por apenas uma situação. Mas a atitude dos jogadores nos vestiários, no treinamento e no jogo me deixou feliz. Esse grupo vai vender caro cada jogo”, afirmou o treinador. 
Com Folha de Pernambuco.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Náutico volta a vencer na Série B. Santa Cruz perde mais uma

Náutico
O Náutico trouxe Roberto Fernandes para tentar escapar do rebaixamento à Série C. Mas antes de o técnico estrear oficialmente no cargo, o clube conseguiu um resultado que reacende a esperança de uma sequência positiva na Série B 2017. No Recife, acompanhado da diretoria do clube, o novo comandante viu o Timbu vencer o Vila Nova (3º) por 1x0, no Serra Dourada. Os pernambucanos voltam com três pontos na bagagem, somando 11 ao todo, além do sentimento de que ganharam mais uma oportunidade de sonhar com uma recuperação histórica.
Santa Cruz

As vaias ecoadas das arquibancadas da Arena de Pernambuco resumiram o resultado frustrante do Santa Cruz. Com uma atuação apática, perdeu de virada para o Paysandu/PA pelo placar de 2x1, na noite desta terça-feira, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Com a derrota como mandante e há três jogos sem vencer, os corais caíram três posições e agora ocupam a 15ª colocação, com 23 pontos. A próxima batalha será contra o Juventude/RS, no sábado (5), no estádio Alfredo Jaconi.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

domingo, 30 de julho de 2017

Gols e os melhores momentos de Bahia 1 X 3 Sport

Assista aqui em LEIA MAIS o que foi o jogão dos maiores clubes do nordeste
https://www.youtube.com/watch?v=OOu_Ypjnk2o
SPORT ENTRE OS MAIS BEM  CLASSIFICADOS
Mais três pontos, no mínimo, nos próximos dois jogos. Se possível, derrotando o líder do Campeonato, Corinthians. E, até o final da temporada, não deixar mais o G6 da Série A do Campeonato Brasileiro 2017. O vice-presidente do Sport, Gustavo Dubeux, traçou os planos de curto e longo prazo do Leão para o restante da temporada.

SANTA PERDE DE 4 A O PARA O PARANÁ. CRISE FINANCEIRA AFETA O CLUBE.

Uma catástrofe. Assim pode ser resumida a tarde deste sábado (29) para o Santa Cruz. Em Curitiba, o Tricolor perdeu a chance de encostar no G4 e foi trucidado pelo Paraná por 4x0 (gols de Alemão, Minho, Iago Maidana e Renatinho). A Cobra Coral segue com 23 pontos e caiu para a 12ª posição - provisoriamente - da Série B.


Sem rodeios, o técnico Givanildo Oliveira comentou sobre os atrasos salariais que pesam o ambiente do Santa Cruz. Com o elenco e os funcionários há dois meses sem receber – maio e junho –, ele admitiu que a falta de dinheiro abala a cabeça dos jogadores e também avisou que não proíbe que eles toquem no assunto nas coletivas de imprensa. Para ele, o problema financeiro já está exposto.
“Não posso e nunca vou fazer isso de proibir o jogador falar de salários. Ele não pode dizer que está tudo certo aqui, em dia... Às vezes, tem gente que não gosta de escutar a verdade, mas em muitas situações também existem verdades. Em cima disso, claro que os caras sentem. Quem não sente?”, disse.
Segundo informações apuradas pela reportagem da Folha de Pernambuco, a diretoria prometeu quitar uma folha salarial até a próxima sexta-feira (4) após reunião na semana passada entre o presidente, os atletas e os membros da comissão técnica. Givanildo depositou, mais uma vez, confiança no esforço do clube para saldar pelo menos parte das dívidas.
“O presidente (Alírio Moraes) está trabalhando no dia a dia. Ele se reuniu com o elenco e estamos esperando que as coisas aconteçam. E que ele consiga no dia marcado, 4 de agosto, fazer esse pagamento”, declarou.
NÁUTICO VIVE MAIS UM VEXAME, MAIS UMA DERROTA
A via crúcis do Náutico no Campeonato Brasileiro continua. Após ter evoluído nas últimas rodadas, o Timbu buscava, enfim, vencer o primeiro jogo em casa na Série B. Não deu certo. Os alvirrubros foram batidos pelo Criciúma, por 2x1, neste sábado (29) e seguem na última posição do torneio, com míseros oito pontos em 17 rodadas.
O pior clube desta Série B pode ter, faltando duas rodadas para o término do primeiro turno da edição 2017, o desempenho mais pífio do primeiro turno desde que o sistema de disputa foi adotado na Segundona, em 2006. Com apenas oito pontos conquistados em 17 jogos, o Náutico tem um aproveitamento de 15,7%. E, mesmo que vença os dois confrontos finais da metade do torneio, contra Vila Nova e Luverdense, os pernambucanos só chegarão, no máximo, à marca de 14 - mesma pontuação do ABC, em 2013, e do Vila, em 2014.
Com Informações de  Folha de Pernambuco
Professor Edgar Bom Jardim - PE

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Sport vence, Santa vence, Náutico perde...



Sob chuva, a alegria rubro-negra
Sob chuva, a alegria rubro-negraFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco
A tirar pelo gramado encharcado desta noite, o Sport trocou o seu mascote de Leão para Poseidon, o deus dos mares na mitologia grega. Debaixo de muita água, o Leão dominou a "maré", apostou nas bolas aéreas e goleou o lanterna Atlético/GO pro 4x0, nesta quinta-feira (20), na Ilha do Retiro. Dos quatro tentos anotados, três vieram de cruzamentos, evitando assim o contato com o gramado recheado de poças. O suspiro de arte veio somente no último gol, anotado de forma belíssima por André, que chegou aos oito gols e entrou de vez na briga pela artilharia da Série A. Com a vitória, o Leão chegou aos 24 pontos e encerrou esta 15ª rodada no G6, na zona da Pré-Libertadores.

NÁUTICO
Autor do gol que garantiu a vitória do Paysandu por 1x0 diante do Náutico, no Mangueirão, pela Série B 2017, o atacante Bergson mandou um recado para os alvirrubros. Ex-jogador do Timbu, o atleta comentou que estava sendo criticado pelos torcedores e usou isso como motivação para balançar as redes.

"Um recado para torcedores do Náutico que pegaram meu número de celular e ficaram mandando mensagens. Pensei em vocês na hora do pênalti", afirmou o atacante, na saída do gramado. 
SANTA CRUZ
Dois pontos separam o Santa Cruz do Boa Esporte/MG. Na tabela de classificação, os tricolores estão três posições acima da equipe de Varginha, que chega ao Recife empolgada após ter vencido o Criciúma por 2x0, na rodada anterior do Campeonato Brasileiro da Série B. Agora, os times se enfrentam em um jogo de seis pontos, nesta sexta-feira (21), às 20h30, na Arena de Pernambuco, pela 16ª rodada.
Sem saber o que é perder desde que assumiu o time coral, o técnico Givanildo Oliveira busca a sua terceira vitória. Até agora, são dois triunfos e dois empates – aproveitamento de 66,66%. Caso vença o Boa, o Santa pode se aproximar ainda mais do G4 da competição, já que atualmente ocupa a 9ª colocação, com 22 pontos, dois a menos comparado ao CRB/AL, adversário que abre a zona de classificação à Série A.

Fonte: Folha de Pernambuco
Professor Edgar Bom Jardim - PE

terça-feira, 18 de julho de 2017

Título do Pernambucano 2017 é do Sport, confirma TJD - PE


JC Online

O Campeonato Pernambucano enfim teve um desfecho. Nesta terça-feira (18), o Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco (TJD-PE) decidiu indeferir o pedido do goleiro do Salgueiro Luciano, que pedia a anulação do segundo jogo da final do Estadual. Por unanimidade, o TJD-PE manteve o resultado final do Estadual, com o Sport sendo considerado vencedor do Pernambucano de 2017. 

O relator do caso, Felipe Tadeu, indeferiu o pedido por rejeitar as quatro questões preliminares apresentadas. Os outros seis magistrados acompanharam o seu voto. A decisão de rejeitar se manteve no julgamento do mérito. Felipe entendeu que o árbitro não cometeu erro de direito e que, por isso, decidiu pela improcedência da ação.

O advogado do arqueiro, Mariano Sá, ainda tentou o adiamento do julgamento. Na tarde desta terça, o representante do jogador protocolou nos autos do processo uma declaração de Salmo Valentim, ex-presidente da Comissão de Arbitragem de Futebol (CEAF), em que ele afirma que o árbitro de vídeo, Péricles Bassols, comunicou ao árbitro de campo, Wilton Pereira Sampaio, que a bola não saiu. O TJD-PE aceitou a nova prova no processo, mas indeferiu o pedido de adiamento.

 A defesa do Sport alegou um possível conflito de interesses no processo. Segundo Geraldo Fonseca, advogado do Leão, o Salgueiro acatou a decisão do campeonato, enquanto que o goleiro não. Alegou que o erro do árbitro não foi de direito (quando infringe as regras do jogo) e nem de fato (quando o árbitro erra na interpretação). A Federação Pernambucana de Futebol (FPF) não apresentou nenhum representante no julgamento.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

terça-feira, 11 de julho de 2017

Sport vence Coritiba


Em queda livre na Série A do Brasileirão, o Coritiba perdeu para o Sport por 3 a 0, na noite desta segunda-feira (10), no fechamento da 12ª rodada e chegou ao sétimo jogo seguido sem vencer na competição. A torcida perdeu a paciência, gritando “olé” para o adversário e pedindo a saída do técnico Pachequinho. Foi o primeiro revés do time como mandante no Nacional.
O último triunfo coxa-branca foi há mais de um mês, no dia 7 de junho, contra o Palmeiras. Desde então, são quatro empates (Botafogo, Bahia, Corinthians e Vasco) e três derrotas (Grêmio, Cruzeiro e Sport).
O início do primeiro tempo foi eletrizante, com boas chances para os dois lados, mas com o Sport levando mais perigo. Wilson já havia feito três grandes defesas quando o chileno Mena abriu o marcador para o time pernambucano, aos 17 minutos.
O gol adversário deixou o Coxa nervoso. E a situação piorou com as lesões dos meias Tiago Real e Matheus Galdezani. Ambos não jogaram o segundo tempo e são dúvidas para o próximo jogo alviverde.
Na segunda etapa, Pachequinho tentou colocar o Alviverde todo no ataque, com a entrada de Alecsandro ao lado de Kléber e Henrique Almeida, mas a equipe não correspondeu bem às alterações.
Aos 39 da etapa final, no contra-ataque, o atacante Rogério, que havia acabado de ser colocado por Vanderlei Luxemburgo, bateu no canto e aumentou a vantagem dos visitantes. Para completar a péssima noite coxa-branca, Walisson Maia ainda marcou contra nos acréscimos e o lateral William Matheus foi expulso após dar um pontapé em André.
Na próxima rodada, o Coxa joga contra o Avaí, quinta-feira (13), às 21h, na Ressacada. Já o Sport enfrenta a Chapecoense, na Ilha do Retiro, também na quinta, às 19h30.
Confira quem foram os destaques da partida:

Craque

Mena
O lateral foi improvisado no meio por Luxemburgo e pelo setor esquerdo criou as melhores chances do Sport. Fez o primeiro gol dos visitantes.

Bonde

Walisson Maia
O zagueiro mostrou insegurança e foi o reflexo da desorganização defensiva do Coritiba. Marcou um gol contra no fim do jogo.

Guerreiro

Rogério
O atacante fez o segundo gol do jogo e selou a vitória pernambucana no momento em que o Coxa pressionava.

Gols

1º tempo
0 x 1 (17 min) – A zaga coxa-branca bobeou após o cruzamento e Menarecebeu livre na cara de Wilson para chutar no canto.
2º tempo
0 x 2 (39 min) – Depois do contra-ataque rápido, Rogério bateu forte no canto de Wilson.
0 x 3 (46 min) - Cruzamento pela direita no ataque do Sport e o zagueiro Walisson Maia desvia para o próprio gol.

Chave do jogo

Desorganização defensiva e ansiedade ficaram escancaradas na derrota coxa-branca no Alto da Glória.

Cartões

Amarelos: Edinho e Alecsandro (Coritiba); Everton Felipe e Mena (Sport).
Vermelho: William Matheus (Coritiba)

Próximos jogos:

Coritiba: Avaí (fora); Fluminense (casa); Ponte Preta (fora)
Sport: Chapecoense (casa); Botafogo (fora); Atlético-GO (casa)
De Gazeta do Povo.
Professor Edgar Bom Jardim - PE

terça-feira, 4 de julho de 2017

Náutico tem mais pontos que reticências ...

O Timbu venceu a primeira partida depois de 11 jogos sem vitórias.

Foi tão tempo amargando empates e derrotas que alguns alvirrubros podem ter demorado a perceber que, finalmente, a equipe encerrou o jejum de 11 jogos sem vitória na Série B 2017. Demorou, mas o Timbu conseguiu transformar a promessa de reação em realidade - embora seja preciso bem mais do que um bom resultado para salvar a equipe do rebaixamento à Série C. Diante do ABC, no Frasqueirão, os pernambucanos ganharam por 1x0, nesta terça (4). O Alvirrubro continua na lanterna, mas tem motivos para comemorar pela primeira vez na competição.

Construir uma jogada da defesa até o ataque foi um sacrifício para ABC e Náutico. O problema era o mesmo dos dois lados: as trocas de passe eram rapidamente interceptadas. No Timbu, Erick e Giovanni eram os únicos lúcidos dentro de um conjunto nada harmônico. Faltavam companhias melhores. Já o time potiguar cercava os visitantes, mas as poucas finalizações não assustavam. Sem qualquer chance perigosa, não ficou difícil entender quais razões levaram os times à zona de rebaixamento da Segundona.

O ABC por pouco não iniciou o segundo tempo com a vantagem no placar. Caio Mancha recebeu ótimo passe de Eltinho e carimbou o travessão de Tiago Cardoso. O susto acordou os alvirrubros. Aos 21, Sueliton cruzou na medida para Gilmar testar firme e fazer 1x0. Começou aí o drama alvirrubro para segurar o resultado. 
Os minutos derradeiros foram de pressão potiguar. Uma cabeçada que Breno salvou em cima da linha. Um chute defendido por Tiago e, aos 50 minutos, o apito final. O Náutico, enfim, volta vencer na temporada.
FICHA DO JOGO

ABC 0

Edson; Bocão, Oswaldo, Filipe e Eltinho; Felipe Guedes, Anderson Pedra (Gegê) e Zotti; Erivélton (Dalberto), Echeverria (Marques) e Caio Mancha.Técnico: Geninho

Náutico 1

Tiago Cardoso; Sueliton, Breno Calixto, Feliphe Gabriel e Léo Carioca (Aislan); Darlan, Amaral, Jeanderson (Manoel) e Giovanni (Jobson); Erick e Gilmar. Técnico: Beto

Campos

Local: Frasqueirão (Natal/RN)
Árbitro: Rodrigo D. Alonso Ferreira (SC). Assistentes: Thiaggo Americano Labes e Eder Alexandre (SC)
Gols: Gilmar (aos 21 do 1ºT)
Cartões amarelos: Eltinho, Felipe Guedes, Filipe (A); Sueliton, Léo Carioca (N)
Com informações de Folha de PE
Professor Edgar Bom Jardim - PE

domingo, 2 de julho de 2017

Máfia: Tabela beneficia Flamengo no Brasileirão 2017

CBF BENEFICIA FLAMENGO


O engenheiro Horácio Nelson Wendel é considerado um especialista em análise de tabelas no meio do futebol. Em anos anteriores, seu trabalho chegou a ser consultado, participando da formatação das rodadas de algumas edições do Campeonato Brasileiro.

Ao analisar detalhadamente os pontos positivos e negativos da tabela do Brasileirão 2017, Horácio notou um beneficiado evidente: o Flamengo: “A tabela do Brasileirão 2017 é toda feita para o Flamengo ser campeão. Um absurdo”, afirmou.

De acordo com O Tempo, o especialista encontrou 73 erros na tabela do campeonato e denunciou a falta de cuidado e critério da CBF para a montagem da mesma. Para Horácio, a nítida "parcialidade clubística" gera uma imediata desvalorização do produto, que tende a cair em descrédito.


E a tabela do campeonato brasileiro 2017 é voltada para beneficiar o Flamengo, isso é uma vergonha! Os outros clubes deveriam posicionar-se.

Dentre os inúmeros apontamentos de Horácio, estão:
1) O Flamengo joga cinco vezes seguidas na cidade do Rio de Janeiro nas rodadas 21-22-23-24-25;
2O Flamengo jogará três vezes seguidas no Rio nas rodadas 7-8-9 e mais três vezes seguidas no Rio nas rodadas 11-12-13;
3O Flamengo fará 11 jogos em casa e 1 jogo fora de casa, em 2 períodos seguidos, de 12 rodadas;

Entretanto, a crítica de Horácio não se resume ao suposto benefício ao Flamengo. De acordo com ele, a tabela inteira está condenada. O Corinthians, por exemplo, joga quatro vezes seguidas em São Paulo nas rodadas 11-12-13-14 e dentre as rodadas 21 e 25 jogará 4 vezes em casa e apenas 1 vez fora.


a tabela do campeonato brasileiro favorece claramente Flamengo e Corinthians com largas sequência de jogos em casa.

Os problemas não acabam aí. Para o engenheiro, há um intencional "desencontro" de nível técnico: “Nas 10 primeiras rodadas, os 10 melhores clubes de 2016 jogam contra os seis piores e os quatro vindos da Série B. Nas nove últimas rodadas, os 10 melhores jogam entre si, e os 10 piores jogam entre si”.
Fonte:90min.com
Professor Edgar Bom Jardim - PE