quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Cidade medieval, burguesa e Mercantil



Bruges recebeu seu nome, segundo se afirma, da palavra Brug, que, em flamengo, quer dizer ponte.

Com efeito, tudo bem contado, a cidade possui, creio, cinqüenta e seis.

Ela tem, além disso, sete portas, oito praças públicas e duzentas ruas.

Por isso, mestre Adrien Bartaud, professor de eloqüência em Louvain, onde morreu em 1542, disse: “Pulchra sunt oppida Gandavum, Antuerpia, Lovanium, Mechlina, , sed nihil ad Bruges”.

O que significa: “Gand, Antuérpia, Louvain e Malines são belas cidades, mas nada em comparação com Bruges”.

Com efeito, na época em que o bom doutor escrevia este elogio pomposo, ou seja, sob o reino de Felipe, o Bom (pai de Carlos, o Temerário), Bruges era não somente uma das mais belas, mas ainda uma das mais ricas cidades do mundo. 

Cidade invejada pela sua beleza
Só a corporação dos tecelões contava cinqüenta mil homens, ou seja oito mil a mais de que hoje é toda a população. 

E no tempo de Guicciardini, mesmo que Bruges estivesse já em decadência, encontravam-se ali sessenta e oito ofícios ou corporações diferentes.

Junte-se a isso uma possante burguesia que fez mais de uma vez tremer não só seus Condes, mas ainda os Reis da França, numerosas famílias nobres, dezessete casas consulares das principais nações da Europa, uma população flutuante de negociantes estrangeiros que afluíam de todas as partes do globo, e se terá uma idéia do que era a capital das Flandres.

De resto, um exemplo curioso dessa prosperidade foi dado em Gand. Carlos V, tendo necessidade de dois milhões de florins, emprestou-os de um negociante chamado Deans, e no mesmo dia do empréstimo fez-lhe anunciar que em sinal do reconhecimento iria jantar com ele. O negociante ofereceu ao Imperador um magnífico banquete, e à sobremesa rasgou o compromisso, de Carlos V.

Riqueza da cidade
– Sire, disse-lhe, passando os pedaços rasgados sobre uma salva, não é muito caro pagar dois milhões de florins pela honra que Vossa Majestade me fez hoje.

A partir do século XIV começa o grande esplendor de Bruges. Em 1393, um tiro a arco teve lugar em Tournai e 387 arqueiros se reuniram provindos de 48 cidades, entre as quais Paris se fizera inscrever. Os brugenses não conseguiram o prêmio de arco, é verdade, mas obtiveram o da mais rica apresentação.
De:cidademedieval
www.professoredgar.com
Reações:

0 >-->Escreva seu comentários >-->:

Postar um comentário

Amigos (as) poste seus comentarios no Blog